O TRABALHO COMO FACILITADOR DA REINSERÇÃO SOCIAL DE ASSISTIDOS DO SISTEMA PRISIONAL DO CEARÁ

Dafna Maria da Silva Ricardo, Tereza Gláucia Rocha Matos, darli chahine baião

Resumo


A realidade do sistema prisional brasileiro está relacionada a uma estrutura degradante. No Ceará, mais de 50% dos detentos voltam a cometer delitos e são presos novamente, além disso, mais de 78% dos apenados não estudam e mais de 90% não participam de cursos profissionalizantes dentro do sistema prisional, refletindo as falhas deste sistema que tem a finalidade de ressocialização. Ao término do cumprimento da pena ou durante a progressão de regime, o encarcerado retorna à sociedade e o trabalho é uma alternativa de ressocialização almejada pelo próprio indivíduo. Esta pesquisa teve como objetivo compreender a relação entre o trabalho e a reinserção social de assistidos do sistema penitenciário do Ceará. Para isso, baseou-se na abordagem qualitativa e utilizada a técnica de entrevista semiestruturada. Para a análise de dados coletados optou-se pela a análise de conteúdo que resultou nas seguintes temáticas: Influência do trabalho para a saída do mundo do crime; Desafios e dificuldades que os assistidos enfrentam na busca de empregos; O trabalho atual como passageiro e Expectativas de um futuro positivo com o alcance de condições melhores. Concluiu-se que o trabalho para os assistidos do sistema penitenciário do Ceará é algo positivo, contudo, para se reinserir no mercado de trabalho, os assistidos enfrentam uma série de desafios que dificultam a admissão em trabalhos formais.


Palavras-chave


Reinserção social; Trabalho; Sistema prisional.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.